No items found.

Casa de Walter e Christiane e Grunecker | Pedrógão

FICHA TÉCNICA

Nome do Projeto: Casa de Walter e Christiane e Grunecker

Estado: Habitação, construído

Clientes: Walter e Christine Grunecker

Apoios: Fundação Calouste Gulbenkian

Localização: Figueiró dos Vinhos, Portugal

Ano de conclusão: 2018

Área bruta construída:  139,40 m2

Engenharia:

Estruturas: BETAR – Eng.º José Pedro Ferreira Venâncio

Hidráulicas: BETAR – Eng.ª Andreia Cardoso

Electricidade: EACE – Eng.º João Caramelo

Telecomunicações: EACE – Eng.º João Caramelo

Antropologia: Ana Catarino 

Construtora: Projeffes

Créditos fotográficos:  Fernando Guerra | FG + SG Fotografia de Arquitectura

A 17 de Junho de 2017 um grande incêndio deflagrou em Pedrógão Grande e espalhou-se pela floresta até Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra,Sertã, Penela, Góis e Pampilhosa da Serra, afectando cerca de 500 casas (259 das quais eram primeiras habitações). 64 pessoas morreram ao tentar escapar dos incêndios.

Depois da tragédia, cidadãos e instituições fizeram donativos para ajudar à reconstrução das casas e vidas afectadas pelos incêndios. A Fundação Calouste Gulbenkian, responsável por um dos maiores fundos, providencia assistência técnica no processo de reconstrução, no qual o ateliermob fez projecto para as sete casas.

Mais do que a simples reconstrução das casas perdidas, o objectivo principal foi o de melhorar as condições de vida destas comunidades, com uma atenção particular para o facto de, na sua maioria, se tratar de população envelhecida.

O facto de os proprietários, Walter e Christiane, guardarem lenha junto às paredes da casa permitiu que o fogo se alastrasse rapidamente para o seu interior, consumindo a estrutura em madeira. As paredes em pedras resistiram e foram mantidas, no entanto, a organização estrutural da habitação original exigiu alterações significativas para responder às solicitações programáticas actuais, a par do cumprimento da legislação em vigor.

A reconstrução da moradia unifamiliar, com dois pisos, inscreve-se no perímetro da construção existente. Na sua recuperação, manteve-se a volumetria original da casa, desenhando a entrada principal na fachada Este, na continuação de um caminho pedonal de terra que se prolonga até a entrada principal do lote. Os dois pisos da casa dividem as áreas sociais no piso térreo e as áreas privadas, como quartos e escritório, no piso superior. A entrada principal e social encontra-se ao nível do piso térreo e abre-se para a zona de sala e cozinha. É assegurada pelo interior a interligação entre os dois pisos, mantendo acessos exteriores distintos.