Novo Mundo - Visões através da Bienal Ibero-Americana de Diseño 2008-2016 no DN (16.6.2017)

November 13, 2017


Podem ser cartazes - com mensagens políticas e sociais - como aqueles que abrem a exposição, mas podem ser também os tecidos criados com artesãs, cujo nome aparece nos créditos ao lado do designer, o tratamento infográfico de dados estatísticos do português Pedro Miguel Cruz sobre os políticos que transitam para empresas privadas ou as capas de Vera Tavares para os livros da editora Tinta-da-China. Ao todo, são 124 obras oriundas "deste conceito geopolítico a que chamamos espaço ibero-americano", como descreve Bárbara Coutinho, diretora do museu português e curadora da exposição. "Todas elas foram apresentadas ao longo das cinco bienais ibero-americanas do design", refere .


(...)


O desenho expositivo é do ateliermob, que tem trabalhado a arquitetura em processos participativos (como vários designers aqui representados) e "pretende falar desta diversidade e pluralidade que sentimos".



[aqui]